domingo, 28 de março de 2010

Big Brother Maceió

Não vai demorar muito para a nossa cidade virar um verdadeiro big brother. Sim, eu escrevi BIG BROTHER. Explico a minha colocação. Até o meio desse ano – pelo menos essa é a expectativa -, estaremos vigiados 24 horas, por 44 câmeras. O circuito será espalhado por toda a cidade. A idéia é cuidar da segurança, mas será que nos sentiremos mais protegidos ou apenas vigiados?


O monitoramente começará nas proximidades da Ponte Divaldo Suruagy, percorrendo a praia do Sobral, seguindo por Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, Cruz das Almas. Em seguida passará por toda Via Expressa, Tabuleiro do Martins. As câmeras estarão ainda, na Avenida Fernandes Lima, Centro e parte do Trapiche da Barra.


Segundo informações da Secretaria de Defesa Social o projeto está avaliado em R$ 4,1 milhões. Muitoooo dinheiro!!! Eles dizem que funcionará na redução da criminalidade, que sinceramente, não para de crescer. A capital alagoana não será a primeira a trabalhar com essa tecnologia, Pilar a alguns anos também instalou o sistema, que se me lembro bem, não teve lá esse funcionamento todo.


Bem menor que Maceió, a polícia que age no município vizinho garante que o número de homicídios reduziu. Porém, em novembro 2008 aconteceu um episódio onde um amigo foi agredida por um grupo desconhecido durante o Festival do Bagre realizado no Pilar, e precisamos das imagens para tentar reconhecê-los. O sistema que deveria ser um sucesso, adianto, não ajudou.


Acompanhei essa história de perto e todo o sofrimento da pessoa em não conseguir reconhecer os seus algozes. Fomos até o Batalhão da Polícia Militar, que é responsável pelo monitoramente naquela localidade, buscamos incansavelmente as imagens do evento. Até achamos alguns momentos em que a vítima e agressores aparecem. Porém, quando fomos em busca de detalhes que poderiam ajudar na identificação como a placa de um carro, as imagens não serviram de nada.


Resultado, agressores impunes. Para mim, naquele momento o circuito de câmaras que deveriam garantir a segurança e a certeza de punir, não passava de mais um enfeite e dinheiro público jogado no mato. O que era uma esperança se tornou apenas uma frustração.


Em relação ao nosso BIG BROTHER MACEIÓ, prefiro ser positiva e acreditar que existe a chance de funcionar e que em Maceió seja diferente. A sociedade não aguenta mais essa violência, não suporta mais essa sensação de impunidade. Quem sabe se existissem essas câmeras na semana passada, quando bati com o carro, o causador da colisão não tivesse sido identificado?


Que esse sistema não seja mais um enfeite eleitoral e sim, algo que mude a vida dos maceioenses, deixando a nossa cidade que é tão linda, mas tranquila e com paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário