terça-feira, 6 de abril de 2010

Os postes...

Olha só senão tenho razão???

Estava lendo hoje uma notícia na internet que falava sobre a grande quantidade de postes de energia que já foram derrubados esse ano em Maceió. Ao todo seriam 29 em apenas três meses. Essa estatística não conta os casos em que os postes foram recuperados, já que esse número dobraria. A causa desses acidentes seria na maioria das vezes motoristas embriagados.


É claro, que diante da experiência que tive há uns quinze dias ao bater num poste - abre aspas, não estava alcoolizada e aconteceu após levar um trancão, fecha aspas - que eu tinha que comentar essa matéria. Acredito que muitos motoristas sejam imprudentes e irresponsáveis, e diante da mistura álcool e direção, acabam sendo responsáveis por grandes acidentes.


Porém vamos analisar uma coisa, alguns até podem pensar que se trata de discurso de motorista barbeira que tenta justificar seu último acidente, mas prestem a atenção a maneira que os postes de energia foram instalados na nossa cidade. Eles ficam literalmente na pista. Não temos acostamento, uma calçada minúscula e eles foram colocados na margem, bem próxima da pista.


No trecho Barro Duro – Serraria mesmo a situação é de chamar a atenção. É um atrás do outro. Alguns maiores, outros menores, mas em grande quantidade. É terrível. No meu caso mesmo, se desviasse do poste, corria o risco de subir na calçada e sair atropelando os pedestres que passavam pelo local. Não temos opção de recuo. Ou bate de um jeito ou de outro.


Talvez uma recolocação melhor desses postes pudessem melhorar esses dados, mas é claro que a conscientização dos motoristas e ainda muito mais válida. O engraçado é que a matéria comenta ainda, que a maioria dessas colisões foram de grandes proporções, chegando a derrubar o poste e matar o condutor. Mais uma vez me senti abençoada, já que não tive um arranhão se quer.


A título de ilustração, cada poste derrubado custa entre dois mil a dez mil reais, dependendo do que foi destruído. Na maioria das vezes o prejuízo fica para a companhia elétrica, mas se o responsável for flagrado no local paga. Não sei como fica a situação dos postes que não chegaram a cair e são recuperados, esse foi o caso do bati. Há duas semanas ele foi recuperado e já está no lugar, para mim ficou apenas o prejuízo do carro, que ainda não chegou.

Um comentário:

  1. Companheira, Você só tá esquecendo que além de postes, nas calçadas também têm gente, bem mais frágeis e com vida irrecuperável, dependendo da violência do impacto. Fico feliz por nada teres sofrido, e mais feliz por não teres atingido outrem. Abraço.

    ResponderExcluir