segunda-feira, 24 de maio de 2010

Já faz um ano que ele se foi...

(André Jerônimo durante entrevista. Lembro-me da minha satisfação de encontrá-lo nessa pauta, um tentativa de assalto no aeroporto)

O tempo passa muito rápido. Hoje, faz um ano que o policial Federal, André Jerônimo de Barros, teve sua vida ceifada durante um acidente de trânsito. Ele caminhava em seu veículo tranquilamente pela principal Avenida do Murilópoles, na Serraria, quando um motorista irresponsável, totalmente alcoolizado, perdeu o controle do carro que conduzia e durante a capotagem acertou em cheio o carro do meu primo. Sim, André Jerônimo era meu primo.


A notícia pegou a todos de surpresa. Alguns ficaram sabendo daquele acidente, numa manhã de domingo de chuva, pelos sites da internet. Custou a acreditar. Ninguém jamais imaginou que um cara como meu primo, que já havia passado pelas fronteiras do país em operações contra narcotraficantes fosse morrer por causa de um ato irresponsável.


O tempo passou. O motorista Rafael Teixeira, um jovem de seus 20 e poucos anos, até ficou preso. Mas, a nossa Justiça branda, o deixou responder em liberdade. O acontecido pode até ter sido uma fatalidade, até acredito nisso, porém, para mim ele ou qualquer outro que dirige a base de álcool sabe do risco que está correndo. Risco que pode tirar a sua vida ou a de um inocente como ele fez.


Rafael Teixeira foi o responsável por tirar a vida de um homem de bem, trabalhador, honesto, pai de família e que ainda, poderia ter alguns muitos anos de vida pela frente. Acredito, que quando chega o momento da morte, ela acontece de qualquer forma, mas uma morte de trânsito, causada por um ato irresponsável é sempre bem dolorosa.


Infelizmente, todos os dias pessoas morrem nas estradas. A maioria dos acidentes, com ou sem vítima, são provocados por motoristas embriagados. As pessoas não aprendem. Não entendem que isso pode acontecer com qualquer um. Mesmo com as Leis de Trânsito estando mais rígidas, o movimento contra o ALCOÓL E DIREÇÃO precisa ser ainda maior. É uma luta que não pode parar.


Algumas pessoas hoje brigam para que o Rafael Teixeira seja condenado, ele está respondendo por homicídio doloso, aquele que tem intenção de matar, também torço por isso, mas torço principalmente para que as pessoas se conscientizem e deixem de fazer essa mistura bombástica. Espero que a morte do meu primo sirva como mais uma lição de vida para muitos, e que outras e outras vidas sejam salvas pelo bom censo.


Só para completar, Rafael Teixeira dirigia sem habilitação, já que nunca tirou; o carro era de uma terceira pessoa, que o acusou de ter pego sem autorização; ele dirigia em alta velocidade, numa avenida curta e estreita da Serraria; e para completar, ainda tentou negar que estava embriagado, só que no momento do acidente várias latinhas caíram de dentro do veículo. O júri será em agosto, agora só nos resta esperar.

2 comentários:

  1. FOI E É UMA DOR MUITO PROFUNDA, E BATE AQUELA INSEGURANÇA QUANTO A CAPACIDADE DA JUSTIÇA DOS HOMENS FAZER ''JUSTIÇA''...A IMPUNIDADE É GRITANTE,NOSSA JUSTIÇA (ALAGOANA) PODERIA AO MENOS SAIR NA FRENTE DE FORMA POSITIVA...UMA VEZ QUE O QUE SAI NA MÍDIA SOBRE NOSSO ESTADO É SEMPRE NEGATIVO...PORÉM NOSSA FÉ EM DEUS AMOR É MAIOR QUE QUALQUER DOR...SABEMOS MUITO BEM QUEM FOI O NOSSO DÉU...E TEMOS A CERTEZA DA VIDA ETERNA... ESTE JULGAMENTO COM CERTEZA É IMPLACÁVEL....SAUDADES É O QUE NOS RESTA... E ORGULHO POR TER EM NOSSO SANGUE O MESMO DESTE GRANDE HOMEM...

    ResponderExcluir
  2. Sem comentarios... As vezes o silencio é muito mais claro que as palavras.
    Te amo
    Mamy...

    ResponderExcluir