terça-feira, 18 de maio de 2010

Redação de casa nova...

Imagem da praia de Guaxuma...

Há mais ou menos uma semana estou de casa nova no trabalho. Sim, O JORNAL mudou de endereço. Agora funciona no coração do grupo JL, dividindo espaço com o escritório da Usina Laginha. A piãozada está chamando o espaço carinhosamente de sede do Projac, já que é muito maior do que a sede do antigo O JORNAL que fica na Gustavo Paiva.


A área é bastante arborizada e espaçosa. Sem falar que fica em frente à praia, que acredito ser Guaxuma. Tem estacionamento coberto, refeitório e estradinha de pedras que temos que percorrer todas as manhãs para se chegar à redação – quase a floresta da chapeuzinho vermelho. A mudança aconteceu bruscamente e ainda estamos em fase de adaptação.


Apenas a redação foi transferida para o prédio, que fica ao lado de outro onde funciona o escritório da Usina. Ficamos num primeiro andar, onde várias salas estão desocupadas. Falta a administração, o setor pessoal, o telemarketing e toda a direção. A reforma está a todo vapor. Acredito que o prédio ainda não estava pronto para nos receber, mas nos mandaram e só tínhamos que obedecer.


Os primeiros dias foram os mais complicados, já que ainda existia a barulheira da reforma, a falta de um café quentinho logo cedo e os jornais atualizados. Agora o problema foi parcialmente resolvido, os nossos queridos motoristas vão à sede antiga – que ainda funciona precariamente – e levam o que falta para a sede nova.


Mas, o melhor da mudança é sem dúvida a beleza incondicional do mar. Do computador onde fico todas as manhãs me desfruto com o azul que contrasta com o céu. É maravilhoso poder escrever e dar uma paradinha para ver o oceano que tanto amo. Não tem estresse que permaneça com tanta beleza.


Como somos os recém chegados, os irmãos pobres que se aproximaram bruscamente dos irmãos ricos, ainda somos observados e analisados pelos restantes dos funcionários do grupo JL. Muitas vezes integrantes das equipes do escritório Central vão curiosos ver a redação. Somos quase os peixinhos do aquário, onde sempre tem alguém querendo ver. Muitos não falam, preferem o isolamento frio. Em defesa acabamos fazendo o mesmo.


O clima de expectativa continua. Toda mudança gera incertezas, mas até agora a alteração tem acontecido sem grandes traumas, apesar de alguns fatos irrelevantes que prefiro não mencionar. Espero que essa mudança seja para melhor, pelo menos prefiro manter a confiança.

Um comentário:

  1. Peixinhos do aquário! kkkkkkkkkkk É muito legal trabalhar vendo o mar. Acabei de fazer isso: redigi a coluna do Sinmed aqui no quarto do hotel (Atlante Plaza). Boa Viagem (ou Piedade, ja que alguns dizem que aqui ja é Piedade) não é linda como as nossas praias. Mas o dia está tão lindo... Maior solzão. Então, vale, né?

    Bjoks,

    S.

    ResponderExcluir