quarta-feira, 16 de junho de 2010

Da morte para a vida, até parece filme de terror...

Foto internet Hospital Geral do Estado

Imagine você está dormindo e de repente acordar num necrotério, junto de vários corpos já sem vida. Esse é o pesadelo de muita gente e foi quase isso que aconteceu com uma aposentada aqui em Alagoas na madrugada de hoje. Ela só não acordou, mas foi dada como morta e encaminhada para o necrotério do Hospital Geral do Estado (HGE).

Por volta das 3h da madrugada ela apresentou sinais de morte, sem respiração e batimentos cardíacos. A equipe médica deu o atestado de óbito e como de praxe fez os encaminhamentos para que o corpo fosse retirado da área vermelha, necropsiado e encaminhado para sepultamento. Quando por volta de 5h, duas horas depois de ter a morte atestada, Divaci Cordeiro voltou a apresentar sinais de vida.

Um funcionário, que deve ter tomado um baita de um susto, observou que o corpo se mexia. A paciente estava tendo espasmos. A equipe médica então foi chamada até o local, onde constatou que aposentada não estava morta. Ela foi novamente entubada e está em estado gravíssimo na área vermelho do HGE.

O fato curioso é que hoje pela manhã ninguém sabia explicar ao certo o que tinha acontecido com Divaci Cordeiro. Ela pode ter sido vítima de negligência médica, que atestou o óbito por engano ou até mesmo de catalepsia, quando os batimentos e a respiração ficam pouco perceptíveis, parecendo que a pessoa morreu.

Como tudo em Alagoas termina em sindicância interna, vai ser instaurada uma para apurar se a aposentada tem catalepsia ou se foi negligência. Se for comprovada a doença, ela é uma paciente rara, mas se for negligência não será coisa rara, mas comum no Hospital Geral do Estado, onde os médicos tem que escolher o paciente que irá atender, diante da falta de estrutura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário