quarta-feira, 7 de julho de 2010

Quando isso vai parar?


Os casos de violência contra as mulheres não param de crescer. São agressões morais, físicas e muitas mortes. Nem a Lei Maria da Penha, que protege e puni mais severamente os agressores de mulheres, tem impedido essa situação. Os casos estão cada vez mais cruéis e mais comuns.

Recentemente, a mídia não para de noticiar dois casos que envolvem mulheres, possivelmente vítimas de crimes passionais. Os casos de Mércia Nakashima e Eliza Samudio tem suas diferenças, mas algo bastante em comum. A primeira ficou desaparecida por vários dias, até o corpo ser encontrado numa represa. A outra continua desaparecida, porém, tudo aponta para que esteja morta.

Nos dois casos os principais suspeitos são ex-namorados, ex-amantes, pessoas que se relacionaram com elas, como preferirem chamar. O motivo da morte de Mércia ainda é desconhecido, já que só existem indícios da participação de Mizael Bispo – o ex – nada que realmente comprove o envolvimento.

No caso Eliza tudo aponta que o goleiro do Flamengo Bruno, queria se livrar dela. A vítima estava exigindo que ele registrasse o filho, consumado segundo ele em orgias. Se ele não queria o filho deveria ter pelo menos usado camisinha na hora de fazer o sexo. Tinha evitado tanto problema.... Inclusive o de ser preso e deixar o sonho de ser jogador, porque vai acabar acontecendo isso.

Não importa a forma que as pessoas agiam: se Eliza estava chantageando o goleiro ou não; se Mércia desprezou Mizael; se tinha dinheiro envolvido nos dois casos; o que aconteceu agora só os algozes ou testemunhas poderão contar. O que não podemos permitir é que esses casos de violência continuem se banalizando e não tenham punição.

As pessoas estão perdendo o respeito pelo ser humano. O que é isso? Matam por matar. Matam por qualquer motivo. Não respeitam mais a Lei da vida. Um mapa da violência no Brasil só comprova o que já sabemos, estamos entre as nações Mundiais que mais tem mulheres assassinadas. As taxas de assassinatos femininos são mais altas do que as da maioria dos países da Europa, cujos índices ultrapassam 0,5 casos por 100 mil habitantes, registramos 4,2 casos para cada 100 mil habitantes.

É lamentável que as coisas não mudem... Esses dois casos que estão na mídia nacional são apenas mais dois casos. Todos os dias centenas de mulheres apanham dentro de casas e tem que ficar caladas, para não serem mortas. O que esperamos é que assim como os registros de violência contra a mulher aumentam o de punições também. Quem sabe assim as pessoas pensem antes de fazer e vidas sejam poupadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário