sábado, 11 de setembro de 2010

Onze de setembro...

A desgraça do americano é se achar melhor do que o resto do mundo, só pode ser isso. Hoje, completam nove anos do ataque ao país, onde centenas de pessoas foram mortas, por terroristas no ataque as Torres Gêmeas e a sede do Pentágono. Invés do povo está lembrando e lamentando a perda de tantas pessoas, alguns deles foram as ruas para queimar e rasgar o Alcorão – livro sagrado do mulçumanos.

Segundo as notícias nacionais além do pastor que ameaçou fazer uma fogueira com Alcorões – que não passou de ameaças - um outro resolveu queimar as páginas do livro sagrado do islamismo próximo ao local onde ficavam as torres Gêmeas. Os protestos não pararam, um grupo de “Católicos” se reuniram em frente a Casa Branca para rasgar as páginas do livro, alegando que queriam acabar com a farsa de que o Islã é uma religião pacifica.

Vamos e convenhamos, os americanos são pacíficos? Um país que cansou de se meter na guerra alheia, que vive querendo explorar os outros países em busca das riquezas naturais, onde “assassinos” de vez e sempre, entram em escolas, casas, lugares públicos com armas na mão matando meio mundo de gente inocente. Como se falar de passividade num lugar desses!!! Não existe como...

Não estou aqui para justificar ou defender os terroristas. Na época dos atentados, lembro-me bem do temor que senti do nosso Brasil também ser vítima da crueldade de alguns “loucos” que lutam por uma causa que apenas os convém. Lamentei bastante o acontecido. Mas, o que quero falar é mesmo sobre a falta de sensibilidade de alguns americanos, que não veem a confusão que podem criar com atitudes de intolerância religiosa como essa.

Assim, como não podemos generalizar que os americanos são autoritários, se acham os donos do mundo e tem um “Q” de malucos, também não podemos apontar todo Islã como terroristas. Acho que esse 11 de setembro, data tão marcante para eles e para o Mundo inteiro , deve servir para se repensar atitudes e posturas.

Acho que com esse atentado o orgulho americano, que sempre se achou intocável foi o realmente afetado. Tenho cá minhas dúvidas se a dor desse povo é mesmo pelas vidas perdidas ou se é apenas pelo patriotismo atingido. Eles estariam fazendo muito mais se deixassem esse fanatismo de lado e se preocupassem em fazer atitudes de como quebrar essa imagem de país "odiado", que existe em vários lugares do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário