domingo, 17 de outubro de 2010

Já basta... é hora de mudar.



Com o intuito de pedir a paz no trânsito, uma caminhada reuniu dezenas de pessoas na orla de Pajuçara, na manhã deste domingo (17). Faixas, bolas brancas e panfletos marcaram a passeata, que homenageava principalmente o policial Federal André Jerônimo Costa de Barros, morto no ano passado, vítima de um motorista que dirigia embriagado.

A caminhada foi linda e cheia de emoção. Conseguiu juntar familiares, amigos e até políticos num ato pacifico. Sem falar que mostrou mais uma vez a sociedade alagoana que muitos anseiam por uma mudança de conceitos (como deixar de beber e dirigir) e principalmente por Justiça, com a punição rigorosa de quem se arrisca na mistura perigosa (álcool x veículos).

Ainda durante a manifestação encontramos fatos interessantes que mostraram na prática a quantas anda a consciência das pessoas com o aumento da violência no trânsito. Estou falando depois acidentes que aconteceram na orla de Maceió, durante a madrugada. No curto percurso, entre a Praça Multieventos e o Alagoinhas, pudemos ver um poste caído no chão, derrubado um motorista bêbado que cochilou ao volante e subiu na calçada; e ainda, os cacos de vidros e restos de outro acidente entre dois carros, perto da Pizzaria Carlito.

Enquanto pedíamos paz no trânsito, os fatos mostravam que as pessoas precisam mudar seus conceitos e acabar com essa coisa de achar que podem assumir um volante após ingerir álcool. É uma mistura perigosa, que pode tirar a vida de pessoas inocentes, como aconteceu com André Jerônimo e até a vida do motorista.

Acredito que as pessoas só vão aprender na marra. É preciso condenar essas pessoas que matam no trânsito com rigor e com a culpa merecida, para assim ver se entendem que estão assumindo o risco. Quem pega o carro após beber assume o risco de matar. É a mesma coisa de pegar uma arma e sair disparando por ai, pode atingir qualquer um.

Na quarta-feira vai acontecer o julgamento do técnico de enfermagem, Rafael Teixeira, responsável pelo acidente que tirou a vida do PF. Ele será submetido a júri popular é sem dúvida a esperança da família e de boa parte da sociedade é que ele seja condenado. Não porque matou o PF, mas sim porque assumiu todo o risco. Ele era desabilitado, estava totalmente alcoolizado, dirigia embriagado numa rua residencial e ainda, pegou o carro de terceiros sem pedir autorização. Será que ele não assumiu o risco? Claro que sim, como muitos outros assumem.

O júri acontece às 9h, no Fórum do Barro Duro, espero chegar com boas novas em breve sobre isso. E espero que os motoristas lembrem-se do risco que correm e na vida de outras pessoas. NADA DE BEBER É DIRIGIR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário