sábado, 27 de novembro de 2010

Arma, sinônimo de insegurançaaa...

Mesmo com o Estatuto do Desarmamento, que proibi a população brasileira de ter armas dentro de casa, as pessoas insistem em andar armadas. Eu entendo que a violência está grande, que todos queremos nos sentir mais seguros. Porém, nem sempre estar armado é sinônimo de está protegido e de evitar que tragédias atinjam nossas famílias.

Sou o tipo de pessoa que tenho pavor de revólver, pistola ou qualquer tipo de arma. Acredito que armamento deve ser usado por quem sabe e precisa se proteger. Deve estar nas mãos daqueles que necessitam utilizá-la para preservar a paz e não dentro da casa de cidadãos comuns.

Para mim, arma não passa segurança. Ela tem o poder de deixar as pessoas mais ousadas, acreditando que são os “Deuses do Mundo”. Fato que não passa de engano. Quantos casos ficamos sabendo de pessoas que foram reagir a qualquer tipo de ação criminosa e acabaram sendo feridas ou mortas pela bandidagem. Criminoso não tem pena não, mata por prazer.

Sem falar dos inúmeros relatos de tiros acidentais dentro de casa. As crianças vão brincar com a arma do papai e acabam se matando ou tirando a vida do irmãozinho, amiguinho inocente. Essa semana tiveram dos casos desse tipo aqui em Alagoas. Um deles, que aconteceu nesse sábado no bairro do Clima Bom. O irmão de dez anos acabou matou a irmã de oito, com um tiro acidental. O menino aproveitou que a mãe saiu de casa e pegou a arma do pai, um sargento da Polícia Militar.

Imagino o desespero dessa família. Do trauma, dor e culpa que esse menino vai carregar para a vida toda. E do mesmo jeito que aconteceu com ele, pode acontecer com qualquer um. Criança é curiosa e tem atração pelo perigo. Gostam de tudo que é proibido. Uma fatalidade que sem dúvida acabou com uma parte da vida dessas pessoas.

Situações como essa fazem a população pensar e passar a respeitar de verdade o que o país decidiu. Arma não é para qualquer um e só estimula a violência...

Nenhum comentário:

Postar um comentário