segunda-feira, 25 de julho de 2011

O desrespeito da telefônica e a eficiência da Anatel


Serviços Oi. “Digite o número do telefone que você quer atendimento. Opção 1, nova linha. Opção 2, promoções. Opção 3, falar com um de nossos atendentes”. Acho que essas foram as falas eletrônicas que mais ouvi nos últimos dias, desde que solicitei a mudança de um número residencial para um novo endereço.

Foram vinte e cinco dias esperando que o telefone e a internet fossem ligados. Telefonemas constantes, que se transformaram numa verdadeira guerra de nervos. Todos os dias escutava explicações diferentes dos atendentes – não eletrônicos - e novos prazos, com a promessa que minha solicitação seria em breve atendida.

A paciência, que não é muito meu forte, chegaram a faltar algumas vezes e a vontade de cancelar a linha, teve que ser contida para evitar que meus direitos de consumidora fossem perdidos. Acho que foram mais de vinte ligações e protocolos anotados. Até que veio a sugestão de ligar para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunições, órgão responsável pela fiscalização das telefônicas).

Não pensei que o serviço da ouvidoria da Anatel fosse tão eficiente. Na última quinta-feira, fizemos a ligação para o 1331 e no outro dia, a operadora já estava entrando em contato conosco para avisar que o serviço seria feito em cinco dias. De repente o papel mudou, eles que me ligavam todos os dias para saber se estava tudo correto.

Em menos de uma semana, o telefone foi ligado e em seguida a internet. Justificaram a demora, devido a um problema técnico na área onde estou morando. Para mim, cliente, isso não importa até por que, no final do mês o boleto para o pagamento chegará na minha casa.

O mais interessante ainda é que aqui no condomínio fui a primeira a ter internet pela Oi. Não por que sou melhor do que os outros, mais sim, porque procurei meus direitos no lugar certo. Liguei para Anatel. Não é difícil fazer a denúncia, basta telefonar, ter os protocolos das ligações de reclamação em mãos, passar endereço e número de telefone para contato, e pronto.

A Central de Atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Ela aceita reclamações, denúncias, sugestões ou pedidos de informações. Quem quiser mais detalhes sobre a Anatel é só entrar no site http://www.anatel.gov.br/

Moral da história: aprendi que quando temos noção dos nossos direitos e denunciamos o que está errado, os problemas são resolvidos. Foram vinte e cinco dias sem internet, que poderiam ter sido ainda menos, se tivesse denunciando antes. Indico que todos façam isso, quem sabe as operadoras passam a nos tratar melhor e com mais respeito.

Já em relação a ficar sem internet, posso dizer que foram dias difíceis. Nunca pensei que a tecnologia fosse me fazer tanta falta. Sem internet, me senti um verdadeiro ‘peixe fora d’água’. Tive que construir novos hábitos e me acostumar com a companhia de livros e da velha e boa televisão, para passar o tempo. Não que isso tenha sido ruim, mais foi uma readaptação difícil. Faz parte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário