quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Operação de guerra será desencadeada para detonar minas em Maragogi


Uma verdadeira operação de guerra deverá ser montada para retirar seis minas marinhas que foram encontradas em Maragogi no último mês de junho. A ação está marcada para acontecer entre os dias 6 e 25 de outubro. Os seis artefatos juntos contêm cerca de 500 quilos de explosivos, que se por acaso forem detonados de uma única vez na superfície pode provocar a destruição do município.

Sinceramente, eu não queria está por lá nesse período. A Marinha, que fará todo o esquema de escavação, desativação, transporte e detonação dos artefatos descarta essa possibilidade de explosão coletiva. Eu com todo meu pouco conhecimento no assunto, não confio numa bomba, que provavelmente está enterrada no município há mais de sessenta anos.

Dizem que essas minas são da 2ª guerra mundial. O incrível é que a cidade foi construída em cima desses artefatos e só agora, eles foram descobertos e com a ajuda de pescadores antigos da região. Como existem explosivos ativos na mina, o mais seguro realmente seria a retirada e detonação posteriormente.

Uma entrevista coletiva – bem explicadinha, com todos os detalhes técnicos e informações necessárias e desnecessárias – foram passadas pela Capitania dos Portos, aqui em Maceió. O local onde as bombas estão deverá ser isolado num raio de 150 metros, para a escavação e desativação. A população deverá deixar suas casas e a região, já que quatro das minas estão em área urbana. A detonação acontecerá numa área afastada do Centro, num vale cedido pela prefeitura.

Vamos esperar que tudo corra bem. Porém, por mais que a Marinha queira passar segurança é bom deixar claro que o risco existe e é eminente. Na primeira mina encontrada, que foi detonada ainda em junho, um pino teria se rompido e ela teve que ser explodida antes de seu destino final, na areia da praia.

Em uma conversa em OFF com um militar do Bope, ele mesmo confirmou que esse tipo de ação é arriscadíssima e que na Alemanha, senão me engano, operação parecida correu tudo errado e as pessoas envolvidas acabaram morrendo. Para aqueles que gostam do paraíso Maragogi, indico ficar longe durante o período da retirada dos artefatos. Se correr tudo bem como esperamos, as minas marítimas deverão fazer parte da história do município numa exposição.

Só para completar um fato curioso sobre essas minas é que em junho quando a primeira foi descoberta, a população pensava que era uma botija de ouro. Os moradores caíram em cima da BOMBA, tentaram abri-la com uma picareta e por sorte não conseguiram. Alguém alertou que se tratava de um explosivo e o Bope foi até o local, mesmo tendo consciência que aquilo era um risco, as pessoas não acreditaram e acompanharam cada passo da detonação. Já pensou se explodisse?

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A partir de hoje eleitor só pode ser preso em flagrante

A partir de hoje, uma Lei Eleitoral determina que até 48 horas depois do encerramento da eleição, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto. Como acontece sempre em ano eleitoral, essa semana que antecede o pleito serve para os bandidos fazerem a festa.

A Polícia Militar disse que vai reforçar o policiamento, principalmente na capital. Porém, eu não acredito. O comando de policiamento da capital informou que vai realizar operações, blitz e abordagens durante toda essa semana, para tentar coibir o aumento da violência.

Minha experiência diz para a população ligar o alerta e ficar atendo para não acabar virando estatística de índices da criminalidade. Há oito anos, eu experimentei desse veneno chamado violência, quando os números não eram tão alto. Na véspera da eleição fui sequestrada na porta da casa da minha mãe. Por sorte e graças a Deus, não passou de um susto.

Dois homens armados, renderam o carro que me deixava em casa por volta das 3h. Eles foram rápidos e não deu tempo de arrancar o veículo antes da aproximação. Nos renderam, colocaram no banco de trás, e seguiram em dispara para um destino até então desconhecido. Os bandidos por mais ameaçadores que fossem, não mexeram na gente. Apenas faziam ameaças dizendo que se ficássemos quietos seria tudo tranqüilo, senão eles nos matariam.

A cada minuto dentro daquele carro passou um filme dentro da minha cabeça sobre a minha vida.Lembranças e lembranças. Achei que iria morrer. Pensei muito na minha mãe e na minha família. Nunca roguei tanto a Deus para ser poupada e acho que ele ouviu as minhas preces e me deixou aqui para contar história. Tudo de ruim que a gente escuta falar, pensei que eles iriam fazer com a gente.

Depois de cerca de 1 hora, eles nos soltaram em Satuba. Entraram num canavial, fugiram levando o carro e mandaram a gente correr sem olhar para trás. Nunca consegui esquecer aquele dia, nenhum detalhe.Por nossa sorte, fomos deixados próximo a fazenda Primavera, as pessoas foram ótimas, nos acalmaram e conseguimos pedir ajuda. Foi a pior experiência que pude ter.

Sem dúvida o trauma desse episódio me deixou mais calejada e atenda. Não sou uma neurótica, mas uma medrosa, que morre de receio de ver esse filme se repetir. O engraçado é que quando se aproxima essa época da reta final da eleição, o filme daquela noite volta todo na minha cabeça. Inclusive, já tive pesadelos com cenas parecidas se repetindo.

Diante desse medo, que deixa meu radar de alerta ligado, deixo minha atenção redobrada e digo a vocês, meus leitores que façam o mesmo. Não custa prestar mais atenção nas ruas e nas pessoas. Sem falar que é importante evitar se expor em horários e trechos poucos movimentados, nesse período. E se for vítima, não reaja. A vida vale mais do que qualquer bem material.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Filhos do crack: uma geração que nasce viciada


A droga, em especial o crack, já tomou conta de Alagoas e do Mundo. As proporções devastadoras desse entorpecente, que virou um problema de calamidade pública são gigantes e faz mais vítimas a cada dia. Na edição do último domingo de O JORNAL, tive a oportunidade de escrever sobre vítimas inocentes dessa droga, que acabam virando usuários sem querer.

Estou falando dos filhos do crack, uma geração de crianças viciadas, com problemas de saúde e comportamentais gravíssimos e que seguiram por uma vida inteira. Os bebês filhos de usuários são pequenos, com a saúde frágil, agitados, bastante desconfiados e carentes. Sem falar, que a droga que a mãe não consegue abandonar, acaba virando vício ainda dentro do útero.


As drogas passam da mãe para o feto basicamente através da placenta, a mesma via percorrida pelos nutrientes para o crescimento e desenvolvimento do feto. A droga altera a função da placenta, reduzindo a troca de oxigênio e nutrientes, causando contrações forçadas e partos prematuros.
Para completar se após o nascimento, o consumo de crack continuar sendo feito perto do bebê e se o leite materno for repassado para ele, também podem causar problemas de saúde. Inclusive, algumas crianças quando retiradas do circulo onde conviviam, podem sofrer com abstinência pela falta da droga.

“O leite da usuária de droga é totalmente comprometido e acaba afetando o bebê, que passa a ser consumidor. Sem falar que utilizar droga próximo do recém nascido é o mesmo que o está drogando”, contou Mário Jorge, diretor médico do Hospital Portugal Ramalho. “Os sintomas nesse caso são de intoxicação como se elas fossem consumidoras. Sofrem problemas de humor, neurológicos, cardíacos e até podem ter abstinência. Sem contar, que o consumo excessivo, se a criança apresentar outras doenças pode acabar matando”.

A realidade de mães usuárias é grande e aumenta a cada dia.O crack vicia de uma forma que o usuário perde totalmente os sentidos, os limites, o amor a ele e ao próximo. Então durante a gestação de um filho não desejado, acabam perdendo os limites e se drogando como se a vida do bebê não dependesse da saúde da mãe.

Durante a entrevista encontrei algumas dessas mães, que hoje estão se tratando, tentando deixar o vício por amor a seus filhos.
Conversei com quatro mulheres, a maioria com filhos de menos de um ano, que se drogaram durante a gravidez e durante a amamentação. As histórias dessas mães se repetem, elas começaram a se drogar adolescentes, engravidaram sem querer e só após conhecer os filhos resolveram tentar largar o crack. Histórias de amor verdadeiro e de muita força de vontade. Quem quiser conhece-las pode acessar no site (http://www.ojornalweb.com/2010/09/26/ojornal-edicao-digital-26-de-setembro-de-2010/) a matéria está lá na integra.

Ao conhecer essas histórias dos filhos do crack tenho que confessar, me assustei ao ver o estrago que essa droga pode causar na vida das pessoas, em especial dessas crianças. É necessário tratamento urgente para essa população de viciados, que a cada dia aumenta mais e faz vítimas mais novas. Sem centros de tratamentos essa população vai morrer cada vez mais cedo e terá ainda mais problemas de saúde. É necessário atitudes emergenciais.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Orientação de como denunciar no MP

Boa tarde queridos leitores. Venho hoje tentar dar uma orientação, sobre um recente texto que escrevi aqui com o “título: a fábrica de multas da SMTT”. Como algumas pessoas me pediram explicações de como proceder para ingressar com uma denúncia no Ministério Público Estadual, entrei em contato com a assessoria de comunicação do órgão que me deu uma breve orientação. Vou tentar passar para vocês agora e espero que funcione.

Pelo que fiquei sabendo o caminho para tentar retirar a multa irregular, é claro senão conseguir via SMTT que deve ser o primeiro passo, é ir até o MP, localizado no Poço, próximo ao Riacho Salgadinho, com toda a documentação – com multas, comprovações de irregularidade e documentação particular - e pedir para fazer uma ação civil pública contra o município.

A Promotoria que está investigando as denúncias de cotas de multas e punições irregulares é a Fazenda Pública Municipal, com a promotora Fernanda Moreira. No MP deve seguir até essa promotoria, fazer a denúncia e aguardar. Segundo informações da assessoria de comunicação do órgão quanto mais pessoas denunciarem, mas rápido o MP poderá tomar as providências, invalidando as multas se a punição for mesmo errada.

A assessoria disse ainda, que o MP não entra em defesa de uma única pessoa, mas de várias e para o bem comum de todos em prol da sociedade.

Por coincidência entrevistei hoje o superintendente da SMTT, Jorge Coutinho, que não falou diretamente sobre o assunto. Ele disse não saber o número exatos de multas aplicadas nos últimos meses e que as pessoas que quiserem recorrer devem procurar o órgão em tempo hábil de até um ano após a multa – senão me engano. Ele falou que se a multa for irregular é retirada, sei de vários casos que isso não acontece.

O negócio é ir mesmo atrás do MP e esperar que seja feito algo. E aqueles que não andam na linha, vamos brincar de tentar andar. Falar no celular, falta de cinto de segurança, não uso da cadeirinha e bebida alcoólica na direção são riscos preocupantes, alguns aumentam o risco de acidentes e outros diminuem o risco de morte. Vale ficar atento já que estamos na semana de trânsito!!!

sábado, 18 de setembro de 2010

Não aguento mais eleição...

Olha o poste que eu falei...

Não vejo a hora dessas eleições acabaram. Acredito na legitimidade do processo, mas vamos respeitar, essas eleições estão “nojentas”. Digo isso por vários motivos e o primeiro deles é o fato dos candidatos estarem mais preocupados em atacar seus concorrentes com críticas, do que falarem de suas propostas. Sem falar no caos que as cidades ficam com a invasão dos políticos: uma sujeira geral.

Maceió nunca esteve tão imunda, como está nesse pleito. Não sei o que é pior, se é a tortura visual ou a sonora. Minha gente, em toda esquina é uma musiquinha irritante, pessoas panfletando, sem falar das faixas, placas e bandeiras por toda parte. Tem pontos que é uma confusão, uma mistura geral de candidatos-concorrentes tentando se promover.

Para completar, agora a nova moda é receber proposta nos sinais para colar adesivos dos candidatos nos carros. Por aqui, em cada esquina – um pertinho do outro – ficam os correligionários oferecendo e insistência gigante, que só faltam colar apulso. O pior é que esse pessoal não satisfeito ou doidos para se livrar dos adesivos, ainda sujam a cidade.

Essa semana fiquei impressionada com um poste, no Barro Duro. Tive que tirar uma foto para trazer para vocês. São mais de vinte adesivos colados, de candidatos para todos os cargos. O pior é que sabemos que a eleição vai passar, mas a sujeira vai ficar. Achei de péssimo gosto esse tipo de prática, como a maioria dessas eleições. Quando acabasse o pleito, aqueles que colaram deveriam voltar aos postes, muros e outros lugares, para limpar a sujeira deixada.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

As lembranças que fazem parte da minha vida...


Que saudade. Foi exatamente isso que senti ao entrar nas portas do lugar onde passei a maior parte da minha infância e adolescência. Onde me descobri e aprendi um pouco de tudo que sou hoje. Estou falando do retorno ao colégio onde estudei a maior parte da minha vida, afinal foram onze anos só no Marista.

Dessa vez, fui a trabalho. Mas a sensação que tive foi incrível, parecia que eu tinha 15 anos e estava chegando para mais um dia de aula. Uma emoção enorme tomou conta de mim. Me senti novamente em casa. Aquele ambiente continua tão presente na minha vida, que se torna mesmo após dez anos, ainda bastante familiar. A vontade que senti foi a de sair correndo e brincando por aqueles corredores.

Passei no colégio menos de uma hora, mas a rápida passagem de olhar por cada canto, me trouxe à memória uma das melhores épocas da minha vida. Era feliz e não sabia. Em minutos pude voltar a minha infância onde corria pelo campo e pelas quadras, onde vi as reformas que deixaram aquele colégio ainda maior; e pela minha adolescência onde perambulava pelos corredores fofocando, paquerando e curtindo as mudanças de humor, peculiar à idade.

Sem dúvida, o Colégio pode ter mudado suas formas de educação ou ter diminuído seus números de alunos, mas para mim continua sendo um lugar especial. Aquele canto que sempre vou chegar e me emocionar...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Vale ficar atento: estuprador vem atacando no Barro Duro


Depois de quase um mês que um homem moreno, estatura baixa, aparentando ter entre 30 e 39 anos, atacou uma mulher no Barro Duro, a Polícia Civil divulgou o retrato falado do estuprador. A abordagem do criminoso foi filmada pelo circuito de câmeras de segurança de uma casa que fica na rua do ataque e mostra a frieza e rapidez que esse tipo de crime acontece.

Estava tudo calculado. Para o bandido seria o plano perfeito. Ele aproveitou uma manhã de domingo para agir. A vítima era uma jovem de 22 anos, que seguia para o trabalho em supermercado no Barro Duro. Ela sempre fazia a mesma rota, no mesmo horário. Ciente disse o criminoso só esperou o melhor momento para atacar e isso aconteceu às 5h30 do dia 29 de agosto.

O que o bandido não esperava é que tudo seria filmado – menos o estupro. A filmagem mostra o momento que ela chega na rua, ele sentando na calçada para esperar a vítima, a aproximação numa simples conversa, até a abordagem com uma faca. A mulher foi obrigada a ir para um terreno baldio, onde em menos de dez minutos foi violentada.

No final das imagens o homem aparece correndo deixando o local e a mulher, mas uma vítima da violência sexual, desesperada. Conversei com familiares da moça, que estavam revoltados com o crime. O bandido armou tudo e sabia exatamente como agir. Como era cedo e dia de domingo, a rua estava fazia. A vítima despreocupada seria o alvo perfeito e acabou sendo.

O que resta agora é esperar e torcer para que a instituição policial funcione e consiga prender esse homem doente. A informação dos moradores da região é que esse não foi o primeiro crime no bairro. Violência sexual é um dos crimes que mais menosprezo. Forçar uma mulher a fazer sexo sem vontade é uma atitude para os fracos, covardes, doentes. Pobre da moça, estava indo trabalhar, tenho certeza que jamais passou na cabeça dela que isso poderia acontecer.

Deixo a imagem do retrato falado feito pela Polícia, para quem sabe alguém que saiba informação sobre esse “monstro” possa denunciá-los. Os números para informações são: Disque Denúncia da PC 0800.284.9390 ou pelo telefone da Delegacia da Mulher 3315-4976

sábado, 11 de setembro de 2010

Onze de setembro...

A desgraça do americano é se achar melhor do que o resto do mundo, só pode ser isso. Hoje, completam nove anos do ataque ao país, onde centenas de pessoas foram mortas, por terroristas no ataque as Torres Gêmeas e a sede do Pentágono. Invés do povo está lembrando e lamentando a perda de tantas pessoas, alguns deles foram as ruas para queimar e rasgar o Alcorão – livro sagrado do mulçumanos.

Segundo as notícias nacionais além do pastor que ameaçou fazer uma fogueira com Alcorões – que não passou de ameaças - um outro resolveu queimar as páginas do livro sagrado do islamismo próximo ao local onde ficavam as torres Gêmeas. Os protestos não pararam, um grupo de “Católicos” se reuniram em frente a Casa Branca para rasgar as páginas do livro, alegando que queriam acabar com a farsa de que o Islã é uma religião pacifica.

Vamos e convenhamos, os americanos são pacíficos? Um país que cansou de se meter na guerra alheia, que vive querendo explorar os outros países em busca das riquezas naturais, onde “assassinos” de vez e sempre, entram em escolas, casas, lugares públicos com armas na mão matando meio mundo de gente inocente. Como se falar de passividade num lugar desses!!! Não existe como...

Não estou aqui para justificar ou defender os terroristas. Na época dos atentados, lembro-me bem do temor que senti do nosso Brasil também ser vítima da crueldade de alguns “loucos” que lutam por uma causa que apenas os convém. Lamentei bastante o acontecido. Mas, o que quero falar é mesmo sobre a falta de sensibilidade de alguns americanos, que não veem a confusão que podem criar com atitudes de intolerância religiosa como essa.

Assim, como não podemos generalizar que os americanos são autoritários, se acham os donos do mundo e tem um “Q” de malucos, também não podemos apontar todo Islã como terroristas. Acho que esse 11 de setembro, data tão marcante para eles e para o Mundo inteiro , deve servir para se repensar atitudes e posturas.

Acho que com esse atentado o orgulho americano, que sempre se achou intocável foi o realmente afetado. Tenho cá minhas dúvidas se a dor desse povo é mesmo pelas vidas perdidas ou se é apenas pelo patriotismo atingido. Eles estariam fazendo muito mais se deixassem esse fanatismo de lado e se preocupassem em fazer atitudes de como quebrar essa imagem de país "odiado", que existe em vários lugares do mundo.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Coisas da internet...

Nas minhas futucadas pela internet, achei umas imagens que achei super interessante. Enquanto todos nos desde criança, nos acostumamos com a bela imagem das princesas Disney - bonitas, de pele clara e magrinhas, corpo de modelos- uma artista norte americana criou uns desenhos diferentes: as princesas versão gordinhas.

Cinderela, Branca de Neve, Bela – de o Bela e a Fera, e Jasmine – de Aladdin, possam nos modelitos típicos dos desenhos, só que em tamanho GG. Achei fantástico as criações, até porque a vida não é feita apenas de mulheres magras e de corpo escultural. Já basta dessa coisa de viver na guerra pela beleza.

Deixo para vocês os desenhos Disney em versão fofuxas...








quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Jangada acessível: uma idéia legal...


Um dos mais bonitos cartões postais de Alagoas está acessível para todos. Esse ano, o passeio pelas piscinas naturais de Pajuçara ganhou duas jangadas, feitas especialmente para transportar portadores de deficiência física e mobilidade reduzida. O sonho de entrar no mar se tornou realidade para muitos que não se sentiam seguros na jangada normal.

No último mês de agosto foi lançada a segunda jangada acessível e a previsão é que até o final do uma terceira fique pronta. As jangadas que foram batizadas como Acessibilidades I e II são mais largas do que as tradicionais. Elas tem 6,45m de comprimento e 1,98m de largura e pode comportar até seis pessoas, sendo duas utilizando cadeiras.

Para completar as cadeiras e o espaço para os cadeirantes ficam seguros por uma cancela, que deixa as viagens de jangadas mais estabilizadas. Sem contar que para o cadeirante ter acesso a jangada ele passa por uma esteira de bambu e depois é levado pelos jangadeiros, que receberam treinamento na Adefal de como transportar de forma correta um cadeirante.

Eu achei a idéia sensacional. Poder proporcionar aos deficientes físicos e pessoas com pouco mobilidade esse tipo de atividade é incrível. Sabemos bem dos problemas enfrentados por eles, numa cidade com pouca opção e despreparada para atender suas necessidades.

A criação dessa jangada é mais uma prova que idéias criativas podem fazer a diferença na vida de muitos... Sem contar que é importante que o Poder Público pare e analise idéias como esta, para promover uma cidade mais justa e equiparada para todos. Afinal, somos todos cidadãos e pagamos nossos impostos.

Ah, indico o Passeio para as piscinas naturais a todos. O lugar é lindo e mágico. Ver a orla de Maceió de dentro do mar é simplesmente fantástico.


terça-feira, 7 de setembro de 2010

SMTT e sua fábrica de multas

Foto gazetaweb.com

Até que enfim alguém resolveu tomar as providências contra a fábrica de MULTAS da SMTT. O Ministério Público Estadual ingressou com uma ação civil pública para apurar as denúncias sobre irregularidades no serviço dos Guardas Municipais – que não podem multar – e da história que eles tem cotas para cumprir na aplicação das multas.

Tenho certeza que a maioria dos maceioenses ou quem circula por aqui, já recebeu alguma multa. A maioria trata de avançar sinal vermelho, uso de telefone celular na direção, falta de cinto de seguranças e estacionamento irregular. Tudo sem prova alguma que aponte a irregularidade e sem muita chance da pessoa multada contestar.

A denúncia do MP é clara. As multas são irregulares. Os guardas municipais não são autoridades de trânsito, com isso não podem multar. As multas acabam inválidas e caracteriza desvio de função. Para se tornarem regulares, seria necessária a realização de um concurso público, contratando novas pessoas para o cargo. A função dos guardas é apenas proteção e zelo ao patrimônio municipal.

Sem contar que a SMTT não analisa a defesa prévia dos multados, obrigando as pessoas a pagarem suas multas de todo o jeito. E a pior denúncia de todas, fica por conta da suposta fábrica de multas, com as cotas que os guardas devem cumprir por dia, para garantir determinados direitos como é o caso do vale alimentação. Os próprios guardas teriam admitido isso para o MP.

Enfim... É necessário mudança já. Os cidadãos estão cansados de serem explorados. Ninguém aguenta mais essa situação. Chega a ser absurdo a roubalheira que a SMTT se tornou. E o pior é que as pessoas só pagam, benefícios nada. Maceió tem um trânsito caótico, asfalto esburaco... Só problema! Desse jeito não dá!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Emoção geral...

Agora eu posso falar com conhecimento de causa: assistam Nosso Lar. O filme é lindo!!! Sei que sou uma chorona de carteirinha, mas nunca pensei que fosse me emocionar tanto com as cenas do filme. Achei a produção perfeita.

Mal começou a sessão, ao observar cada detalhe daquela apresentação, me senti dentro da colônia Nosso Lar. Apesar do incomodo de assistir o filme entre as primeiras fileiras do cinema – que estava lotado – não desgrudei um minuto os olhos do longa metragem, que conta a história do desencarne do médico André Luiz.

O enredo é bastante atrativo, para espíritas e não espíritas. Mostra como funciona a passagem, os dias no “acerto” de contas nas zonas inferiores – o Umbral, o arrependimento, a chegada ao lar espiritual, a busca por respostas e o reencontro com a vida.

A mensagem final é linda... Me fez refletir bastante sobre a importância do amar e ser amado, de perdoar e ser perdoado e sem dúvida da ajuda aqueles que precisam. Reflexão essa que sempre acabo fazendo após cada leitura, mas poder ver nos cinemas aquilo que a minha imaginação formava a cada livro lido, foi muito mais especial e gostoso. Foi de veras, emocionante.

Eu indico... Vale mesmo a pena assistir...

domingo, 5 de setembro de 2010

O sonho de ficar milionário...


O sonho de ficar milionário tomou conta do Brasil nesse final de semana. Muito engraçado, como o brasileiro é sonhador. Desde sexta-feira todas as lotéricas ficaram cheias de apostadores, com uma expectativa em comum: todos queriam mudar de vida.

Na fila, antes mesmo de executar a aposta ou até mesmo de ser sorteado, muitos já planejavam o que fazer com o dinheiro. Afinal, foram quase 90 milhões. É muito dinheiro para se ganhar de uma única vez, num país que a maioria da população passa fome, é analfabeta e de classe baixa.

Não sou muito de fazer apostas, mas bem que fico tentada quando vejo essa bolada toda. Acabei não resistindo e depois de muita insistência entrei no bolão do trabalho. Logo após o sorteio, o organizador do bolão ligou: - não foi dessa vez. Normal, se você ao contrário é que seria anormal e com certeza eu não estaria mais aqui escrevendo nesse blog hoje. (risos)

Ganhar é muito relativo, alguns muito, muito sortudos acabam sendo sorteados ( dessa vez, foram sete pessoas). Mas, tenho certeza que isso não é motivo para ninguém desanimar. Basta a mega acumular de novo que veremos a cena se repetir... Filas, apostadores enlouquecidos, fazendo mil planos... Adoro essa coisa do brasileiro... Afinal sonhar faz parte...